Murtagh Tully

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Murtagh Tully

Mensagem por Murtagh Tully em Sex Jul 12, 2013 12:11 am

Nome Completo: Murtagh Tully
Apelido:  “O furacão Tully”
Idade: 20 anos
Nome da Mãe:  Delphine Bosmer
Nome do Pai: Alduin Tully
Religião: Os Sete.
Casa: Tully

Força: 20
Destreza: 20
Inteligência: 15
Mente: 10
Magia: 0
Sorte: 5

Sistema Inicial:
[ ] Intriga[X] Combate

Vantagens
[ ]líder nato [ ]acrobata [ ]Honrado [ ]Arte da medicina [ ]Mestre dos venenos [ ]Bruto [  ]Reflexos afiados [  ]Aventureiro [ 5 ]Preciso [ 5 ]Ambidestro [ 5 ]Assassino [ ]Pugilista [ ]Destreza [ ]Desviar

Desvantagens
[ ]Mau líder nato [ ]Medo de Sangue[ ]Desmiolado[ ]Asmático [ ]Gota [  ]Alérgico[ ]Reflexos atrofiados [ 7 ] Impulssivo [ ]Desatento[  ]Cicatriz[ ]Colapso Pulmonar [ ]Deficiência Física [ ]Covardia [ ]Deficiência Mental [ ]Medo de Fogo [ 8 ]Psicopata [ ] Pesadelos [ ] Claustrofobia [ ] Insônia

História do Personagem:

O que dizer sobre o exilio? Bem, não é um lugar muito legal, por mais tentadora que a expressão “livre de responsabilidades” possa soar. Sim, estávamos livres. Sem nome, sem terras, sem importância quase sozinhos naquela época onde a alvorada da inocência ainda permanecia em meu ser. Mas nem essa pseudo liberdade chega a ser uma coisa boa quando se tem um preço. Quando as amarras cruéis e frias da traição e da humilhação ainda batem fortes em meu peito como chicotes dilacerando minha carne. Lembro-me do choro da mulher. Sua face, seus olhos, tão claros quanto os meus e cobertos de lagrimas, do medo me desmontando, e das palavras do meu irmão. Tão grande, tão magnifico, um exemplo a ser seguido. Nos voltaríamos. Tomaríamos de volta o que nos era de direito. Depois de tantos anos, ainda consigo afirmar: Nunca vi os olhos de Edwyn brilharem tão consumidos pelo ódio quanto naquele dia.

Minha história é um pergaminho cheio de falhas e borrões de tinta. Mudanças, emboscadas, encrencas. O que posso dizer? Ela nunca foi exatamente muito linear. Me lembro vagamente de casa, de correrio. Haviam vários salões para brincar, e minhas risadas, junto a de meus irmãos parecia animar o lugar. Lembro-me de papai acenando e brincando. Puxando minhas orelhas diversas vezes quando fazia algo errado ou fugia de casa. Era um gato vira-lata, um furacão que nunca parava quieto, minha mãe dizia. Furacão, sim. Aquele apelido pegou, me acompanhando durante os anos.

Mamãe tinha cabelos loiros e um sorriso doce e, por muito tempo, os heróis de sua história permearam minha mente. Queria ser um cavaleiro. Um grande guerreiro vencedor de batalhas que não vacilava diante do sangue, mas que, mesmo assim, sempre perdia naquele jogo idiota de rei da pedra.

Depois disso veio o incêndio e a expulsão. Em cavalos e navios fomos exilados. Os sorrisos e esperanças se partiram e, pela primeira vez, estávamos sozinhos. Frio. Sentia permear em meus ossos quando chegamos ao castelo de um amigo de nosso pai. Nosso esconderijo, onde jamais poderíamos voltarmos a ser nos mesmos.

Talvez ai tenham começado as fugas, ou algum tempo mais para frente. Inquieta, minha mente sempre trabalhou mais rápida que a dos outros, e em algumas ocasiões fugi e me meti em problemas. Mas isso me ajudou a crescer. A me tornar homem. Isso e aquela mulher.

Uma garota das ilhas de ferro, cabelos negros, olhos claros e sorriso travesso. Tinha quatorze anos quando me apaixonei, e tão selvagem ela era quanto seu nome de bastarda. Família, dever, honra. Eu não ligava para nenhum deles e, na mesma época, notei que queria ficar com ela, oferecendo uma fuga para ela. Resposta? Uma risada. Cruel ela apenas me chutou. Era um pirralho, não merecia o seu tempo. Então foi embora.

Raiva, talvez ela tenha crescido, assim como a vingança. Mas essas agora são produtos insignificantes. Meu coração se fechou. Agora eu tinha meu próprio jogo e era a mais importante peça para mim mesmo. Me dediquei a espada e a alguns assuntos que me interessavam. As fugas se tornaram mais intensas do que antes, apesar da mania de voltar para casa tivesse se tornado quase uma rotina. Não era mais o inocente o travesso Murtagh. Não era mais o menino de antes. Se havia mudado?  Digamos que apenas estava preparado esperando pela hora do verdadeiro jogo começar. E digamos que o sangue de meu tio seria um ótimo primeiro movimento.
avatar
Murtagh Tully
Homem Livre
Homem Livre

Mensagens : 41
Data de inscrição : 11/07/2013

Ficha do personagem
Nível Nível: 1
Pontos de Vida Pontos de Vida:
100/100  (100/100)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Murtagh Tully

Mensagem por Edwyn Tully em Sex Jul 12, 2013 3:36 pm

Sua ficha ficou mais completa que a minha, mas também né? Não fez corrido que nem eu ¬.¬ porque nao tinha ninguem TE PRESSIONANDO QUE NEM DOIDA... mas enfim, '-' sinto que Ayesha vai ter um "carrapato" em seu pé agora com o Murtagh. E sinto que este irmãozinho aí vai querer matar o irmão com tantos problemas...
'-' Ed tratará logo de casa-lo! (not).
<O>
avatar
Edwyn Tully
Homem Livre
Homem Livre

Mensagens : 146
Data de inscrição : 11/07/2013

Ficha do personagem
Nível Nível: 1
Pontos de Vida Pontos de Vida:
100/100  (100/100)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum